Relatório Anual do Desmatamento no Brasil

O Brasil desmatou 20% a mais no ano passado que em 2020. Mesmo com tanta repercussão internacional negativa por causa da destruição recorde em 2019 e 2020, o governo Bolsonaro continua deixando a boiada passar, permitindo que uma área de floresta do tamanho do estádio do Maracanã desapareça da face da terra a cada dois minutos. Perdemos 16,5 mil km2 de floresta em 2021. Cerca 60% desse total foi concentrado na Amazônia, que perdeu 9,7 mil km2 de floresta. No Cerrado, foram cerca de 5 mil km2 destruídos.

O Relatório Anual de Desmatamento no Brasil (RAD), do MapBiomas, observou que 98% do desmatamento detectado foi ilegal e o principal vetor é a agropecuária (97% dos casos). “O desmatamento pode até ter sido feito por um especulador ou grileiro, mas quem mais se beneficia dele, quem mais usa a terra em questão, é a agropecuária”, afirmou Tasso Azevedo, coordenador do MapBiomas.

Foram analisados 69.796 mil alertas captados por satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, do Imazon, da Universidade de Maryland, do Instituto Socioambiental/ ISA, do ArcPlan e do SOS Mata Atlântica. Todos esses dados de satélites são púbicos, abertos e gratuitos, podendo ser consultados no Brasil e por pesquisadores do mundo todo.

As áreas de desmatamento com mais de 100 hectares também saltaram de 2026 para 3040, de 2020 para 2021. O relatório mostra que é completamente viável responsabilizar pelo menos 3/4 dos desmatadores, uma vez que as irregularidades aconteceram em áreas registradas no Cadastro Ambiental Rural (CAR), onde se sabe quem é o dono.

Saiba mais:


Brasil desmatou 20% a mais em 2021 do que no ano anterior – DW, 18/07/22: https://bit.ly/3zh4ABJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *