Violaceína para tratamento de câncer

Em 2004, uma pesquisa publicada na revista científica PubMed, da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, mostrou que o pigmento roxo produzido pela bactéria Chromobacterium violaceum, presente no Rio Amazonas, apresentava efeito antitumoral em células de pacientes com leucemia. A partir dessa publicação, pesquisadores de diferentes universidades começaram a investigar as propriedades biológicas do tal pigmento, até o momento só conhecido como violaceína. 

Em 2006, outro relatório de avaliação científica publicado na PubMed confirmou: vários estudos comprovavam a capacidade da violaceína em eliminar uma variedade de células cancerígenas (apoptose), incluindo as células de leucemia. No mesmo ano, outro estudo revelou que a violaceína aumenta sinergicamente a citotoxicidade do 5-fluorouracil, acabando com as células de câncer colorretal humano.

Em 2012, outra publicação na biblioteca online da PubMed mostrou que a violaceína induz a morte de células leucêmicas resistentes via reprogramação de quinoma, estresse de retículo endoplasmático e colapso do aparelho de Golgi.

Quem contou tudo isso, foi a cientista Alessandra Faria, que pesquisa tratamentos de câncer e plaquetas na Unicamp, trazendo cada uma dessas publicações numa thread na sua conta oficial do Twitter (@alerrafaria). Ela disse: “Com tantas pesquisas interessantes sobre a violaceína como antitumoral, grupos de pesquisa do mundo todo se interessaram pelo composto: Uruguai, Coreia, Itália, Alemanha, e EUA… Mas o trabalho no Brasil não parou!  Em junho deste ano, o grupo de pesquisa da Profa. Ferreira-Halder fez mais um avanço na investigação da violaceina como antitumoral: a violaceina diminuiu a proliferação de tumosferas e a migração celular”

Todas essas pesquisas apontam um futuro promissor no uso da violaceína no tratamento de câncer. Muitas dessas pesquisas só foram possíveis graças ao investimento em pesquisa e ciência da Fapesp, CNPq e Capes, que infelizmente foram destruídos pelo governo Bolsonaro.

Saiba mais:

2004 – Artigo científico: Molecular mechanism of violacein-mediated human leukemia cell death – PubMed: https://bit.ly/3RmIhRO

2006 – Cytotoxic activity of violacein in human colon cancer cells – PubMed: https://bit.ly/3RHqdl9

2006 – Violacein synergistically increases 5-fluorouracil cytotoxicity, induces apoptosis and inhibits Akt-mediated signal transduction in human colorectal cancer cells – PubMed: https://bit.ly/3TJrnP3

2012 – Violacein induces death of resistant leukaemia cells via kinome reprogramming, endoplasmic reticulum stress and Golgi apparatus collapse – PubMed: https://bit.ly/3x6nM3L

2022 – Violacein negatively modulates the colorectal cancer survival and epithelial-mesenchymal transition – PubMed: https://bit.ly/3BlbRS2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.