Indústria da alimentação

Enquanto a recomendação para uma vida saudável é que comamos ao menos trinta plantas diferentes por semana, “quatro bilhões de pessoas têm sua alimentação baseada quase exclusivamente em arroz, milho e trigo” – dados apresentados por Ricardo Abramovay em artigo sobre saúde em que discute como a indústria padronizou e empobreceu a dieta humana. Produtos industrializados e superprocessados nas prateleiras são rações viciantes e artificiais, quase todas feitas com os mesmos ingredientes (e com trabalho escravo do agronegócio à fábrica), embalados com rótulos bacanas para atrair pobres humanos pobres. “A monotonia e a escassez em gêneros naturais dos produtos ultraprocessados são um dos mais importantes vetores da pandemia global de obesidade. Ao mesmo tempo, a homogeneidade e a baixa diversificação dos ambientes agropecuários são determinantes fundamentais da erosão global da diversidade genética”, explica.

Leia artigo completo:
“Não se engane: a variedade das prateleiras de supermercado é pura monotonia” – 10/10/2020: https://bit.ly/2Vq5Wp2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.