JBS quer desmatar até 2030?

A JBS ⎼dona das marcas Friboi, Seara e Swift⎼ é a maior produtora de carne do mundo e deveria ter o compromisso de encerrar imediatamente a compra de gado triangulado por desmatadores, parando de comprar de criminosos que fazem parte de sua cadeia de fornecimento imediatamente. Todos os anos, criadores criminosos de gado derrubam cerca de 600 campos de futebol de floresta nativa para transformá-la em pasto.

O mundo todo tem acompanhado o retrocesso da proteção ambiental e avanço do desmatamento na Amazônia nos últimos três anos. No ano passado, 800 milhões de árvores foram derrubadas em mais de 13.235 km2 de vegetação desmatada (PRODES). Em 2020, foram derrubados 10.851 km2 de floresta no Brasil, o que equivale à derrubada de 24 árvores por segundo. O INPE mostra que a maior parte do desmatamento na Amazônia foi em áreas protegidas e estava diretamente relacionado ao avanço da pecuária na região. 

A JBS ignora a responsabilidade que tem nisso. Em seu plano “net zero”, anuncia que trabalhará com fornecedores que desmatam na Amazônia até 2025 (mais 3 anos), nos outros biomas do país diz que tem a meta de encerrar a compra de gado ligado ao desmatamento em 2030 e diz que pretende zerar o desmatamento de sua cadeia de fornecimento global em 2035. Em outras palavras, a empresa alardeia um plano de responsabilidade ambiental que lhe dá o prazo para estar envolvida com desmatamento por mais 14 anos.

Sem demora, suas promessas estão sendo questionadas internacionalmente, como no relatório “A Grande Trapaça: Como grandes poluidores estão promovendo uma agenda climática ‘net zero’ para atrasar, enganar e negar”. 

No ano passado, a revista inglesa The Economist dedicou duas páginas da edição de 11 de junho para falar mal do agronegócio brasileiro e sua vergonhosa ligação com o desmatamento na Amazônia e no Cerrado. A revista inglesa trouxe à tona dados da plataforma europeia TRASE (https://trase.earth/), instituto que promove transparência e sinaliza ações criminosas de cadeias produtivas, para mostrar que a carne bovina brasileira causa 6 vezes mais desmatamento que a soja. 

Em 2020, reportagem do jornal The Guardian flagrou gado criado em área embargada sendo adquirido pela empresa. Em 2017, a operação CARNE FRACA, já tinha deflagrado dezenas de frigoríficos e fazendas que vendiam gado criados em áreas desmatadas para a JBS.

Saiba mais:

Relatório “A Grande Trapaça”: https://bit.ly/3gMtrV6

“A study names firms that buy products from areas with deforestation” – The Economist, 11/06/2020: https://econ.st/2Y77F4T

“JBS mantém compra de gado de desmatadores da Amazônia mesmo após multa de R$ 25 milhões”- Repórter Brasil: https://bit.ly/3xaQMoW

“JBS compra gado de área desmatada ilegalmente e leva multa de R$ 24 milhões” – UOL: https://bit.ly/361r0HQ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.