Gestão integrada da água

A grave falta de abastecimento nas residências, comércio, serviços, indústria, hospitais e demais equipamentos públicos em São Paulo entre 2014 e 2016 revelou total ineficiência e incapacidade do Governo do Estado de São Paulo e da Sabesp na gestão da nossa água (https://bit.ly/1F3cj6x). Tanto o governo como a prestadora de serviço ficaram com algumas lições de casa para fazer. Não fizeram quase nada. Fatores ligados à manutenção da infraestrutura, recuperação de mananciais, promoção de nova cultura de reuso e cuidado com a água, despoluição de rios e planejamento foram deixados de lado. Só as megaobras de curto prazo pareceram tentadoras e aconteceram sem muito estudo, com muito impacto e custo. Agora, várias cidades correm novamente perigo de secar e a crise não é só no estado de São Paulo, temos um problema nacional. O fundador e diretor do Instituto Escolhas Sérgio Leitão vê uma total descoordenação entre os órgãos envolvidos na gestão da água. Já estamos vários reservatórios no país com nível de água abaixo do recomendado e a estação seca mal começou. E agora?

Saiba mais:


Uso múltiplo das águas: polêmica sem fim – Editora Brasil Energia: https://bit.ly/3v6qNNN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.