Quem é o ministro que entrou no lugar do Salles?

“Capatazes a serviço da família do ministro chegaram a destruir casa de uma família ao tentar expulsá-la da Terra Indígena Jaraguá”. Com essa apresentação, lemos a matéria da BBC que conta quem é o ministro do Meio Ambiente Joaquim Álvaro Pereira Leite, nomeado ontem para substituir Salles.


Desde 1980, os povos Guarani Mbya e Ñandeva tentam demarcar o território da menor Terra Indígena do país, 532 hectares que ainda guardam floresta em pé na cidade de São Paulo. Relatório da Funai de 2013 já alertava que a família Pereira Leite fez de tudo para paralisar a demarcação do território. Ainda em 1986, o pai do então ministro “exigiu que a Funai retirasse os marcos físicos do processo demarcatório, alegando ser o proprietário da área”. Dez anos depois, em 1996, a família teria pedido à Justiça a retirada da comunidade, mas o Ministério Público interveio.


Em livro da doutora em Geografia pela USP, liderança indígena chama Eunice descreve:

“A família Pereira Leite ameaça muito o pessoal indígena… Que vai pôr fogo na casa, que vai destruir…” (trecho que fala sobre a TI Guarani, no livro “A grilagem de terras na formação territorial brasileira”, de Camila Salles de Faria).


Para a BBC, o Ministério do Meio Ambiente informou pro carta que a “disputa de posse em questão é tratado no âmbito do espólio da família paterna do ministro Joaquim Leite, que nunca teve atuação direta ou indireta no assunto”.


Joaquim Álvaro Pereira Leite é formado em Administração de Empresas pela Universidade Mauá. De 1996 a 2019, foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB) e também atuou no como consultor de marca de café.

Saiba mais:

“Família de novo ministro do Meio Ambiente disputa posse em terra indígena em SP” – BBC: https://bbc.in/3h61K8m

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.