Moradia popular x especulação imobiliária

Um desafio de todas as cidades do país: crise de moradia e desigualdade urbana. Ignorar problemas e conviver com eles diariamente não resolve nada. Todos na cidade coabitamos, então, a pobreza e exclusão social são problemas que todos devemos ter o interesse em resolver. Uma cidade mais justa, saudável e desenvolvida é melhor para todos. Co-existimos na cidade, nela tudo e todos se esbarram, o rio que sai da periferia sem saneamento é o mesmo que cruza o bairro nobre, tudo conversa, tudo se relaciona.

Uma das cidades mais populosas do mundo, SP carrega um déficit de 474 mil moradias e, ao mesmo tempo, tem centenas de edifícios abandonados com milhares de moradias não utilizadas na região central, já conectadas à rede de saneamento básico. Desses edifícios abandonados, 708 já foram notificados oficialmente por não estarem cumprindo a função social. Em entrevista à rede BBC, o urbanista Álvaro Luis Puntoni, professor da Faculdade de Arquitetura da USP e da Escola da Cidade, diz que “O centro de SP é o retrato da degradação.”

Como podemos aceitar a denúncia do Dossiê da Devastação dos mananciais paulistanos com 160 lotes clandestinos e sem serviços básicos, quando temos hoje a opção para garantir o direito à cidade e à dignidade humana para quem hoje não tem onde morar? O desmatamento no entorno de mananciais afeta toda água da cidade. O rio que começa longe é o mesmo rio que passa perto, cruzando a cidade. A falta de saneamento de um bairro afeta a água de todo município.

Saiba mais:


São Paulo tem déficit de 474 mil moradias, diz estudo – Folha de S. Paulo: https://bit.ly/3mEtmCV
Por que existem tantos prédios abandonados em São Paulo? – BBC News: https://bbc.in/31Y89vQ
Dossiê da Devastação da Mata Atlântica de SP https://bit.ly/2TJXeS1
Por um futuro urbano melhor – ONU HABITAT: http://www.circuitourbano.org/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.